Conheça museus e bibliotecas da capital para ir de bike

Se você não dispensa uma boa pedalada, pode aproveitar a atividade para fazer passeios culturais pela cidade. Em São Paulo, diversos locais voltados para a cultura oferecem serviço gratuito de bicicletário, o que serve como um incentivo a mais para ir de bike na hora de explorar a metrópole.

Ao escolher a bicicleta como meio de transporte, você não só adota um estilo de vida mais sustentável, mas também tem a liberdade de explorar os pontos turísticos da cidade de forma flexível e acessível.

Sem falar que pedalar pelas ruas movimentadas da capital paulista é uma maneira revigorante de absorver o ambiente enquanto se desloca entre os tesouros culturais que a cidade tem a oferecer.

No artigo a seguir, separamos alguns museus e bibliotecas da capital paulista que vale a pena ir de bike. Confira! 

Museu da Casa Brasileira para ir de bike

Localizado na Avenida Faria Lima, o Museu da Casa Brasileira conserva objetos, móveis e equipamentos de várias épocas da história da moradia no Brasil. Se a combinação entre arte, arquitetura, design e história parece atraente para você, não deixe de visitar esse museu! 

A construção também é chamada de Solar Fábio Prado, em homenagem ao ex-prefeito de São Paulo, para quem o edifício foi construído com o intuito de servir de moradia. O solar foi erguido durante a década de 1940, como uma réplica do Palácio Imperial de Petrópolis, no Rio de Janeiro.

Hoje em dia, o Museu é um  importante núcleo de pesquisa, discussão de arquitetura e design, e abriga uma videoteca e um acervo de documentação contemporânea brasileira e internacional. O reconhecimento é mais do que válido, já que esse é o único museu do país especializado em arquitetura e design.

Além disso, o Museu da Casa Brasileira conta também com um vasto e belíssimo jardim, que serve como um refúgio em meio a uma das avenidas mais movimentadas de São Paulo. A programação do local conta com diversas atividades, desde mostras de design até concertos de estilos musicais variados. 

No local, há um bicicletário com capacidade para 40 bicicletas. É disponibilizado um cadeado para ser utilizado com sua corrente, e não é preciso pagar nada por ele, basta devolvê-lo na saída.

Visite o Museu de terça a domingo, das 10h às 18h. Ele fica na Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2705. O valor da entrada inteira é R$ 20, e a meia-entrada sai por R$ 10.

Museu da Imagem e do Som (MIS)

O Museu da Imagem e do Som (MIS) é um dos espaços culturais mais visitados por turistas e moradores da cidade de São Paulo. O local foi criado em 1970, com o objetivo de registrar e preservar o passado e o presente das manifestações ligadas às áreas de música, cinema, fotografia, artes gráficas, e tudo o mais que diz respeito à vida contemporânea no nosso país.

O acervo do MIS conta, atualmente, com mais de 200 mil imagens distribuídas em coleções temáticas de conteúdo diversificado, mais de 1.600 fitas de vídeo (de ficção, documentários experimentais e musicais) e 12.750 títulos distribuídos em Super 8 e 16mm. O local conta também com uma programação mensal de shows, mostras, festivais de cinema e vídeo, exposições de fotografia e de artes gráficas. 

O MIS fica na Avenida Europa, 158, no Jardim Europa. Ao ir de bike, você pode deixá-la no estacionamento do MIS, que conta com seis vagas. Basta levar corrente e cadeado. Às terças-feiras, as exposições são gratuitas. Para as atividades relacionadas ao cinema, música e outros eventos pontuais, consulte o valor em Programação.

Casa das Rosas

Na década de 1930, o arquiteto Felisberto Ranzini do escritório gerenciado por Ramos de Azevedo projetou e construiu a Mansão das Rosas. Atualmente, esse é um dos únicos edifícios remanescentes da época em que a Avenida Paulista começou a ser ocupada.

O local foi tombado pelo Condephaat em 1985, e reaberto em 1995 com o intuito de ser um espaço cultural dedicado a exposições. Em 2004, a mansão passou a se chamar Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura. Atualmente, suas atividades são voltadas à leitura e à pesquisa, e conta com um acervo de 35 mil volumes da biblioteca do poeta Haroldo de Campos.

O jardim do museu conta, ainda hoje, com suas características originais, que carregam a marca registrada de seu nome com as belíssimas roseiras que o compõem. Além de ser o lugar ideal para relaxar e tomar um café, também é lá que fica o bicicletário, com 20 vagas para os ciclistas que visitam o local. 

A Casa das Rosas conta com uma programação super rica, incluindo cursos, oficinas, exposições e eventos diversos sobre poesia e literatura. A entrada é gratuita todos os dias. Fica localizada na Avenida Paulista, número 37, próximo ao Sesc. 

Museu de Arte de São Paulo (MASP)

Aproveitando que você já está na Paulista, por que não dar uma passadinha no MASP? Sua arquitetura única e sua vasta coleção de obras de arte fazem com que uma visita ao Museu seja sempre uma experiência valiosa.

O espaço conta com milhares de obras importantes de artistas renomados e faz jus a sua fama internacional. Em uma mesma visita, você encontra desde a arte clássica renascentista europeia até exposições modernas de artistas da atualidade.

Atrás das bilheterias do MASP, estão instalados paraciclos com 32 vagas para bicicletas. As peças têm formato retangular e foram estrategicamente projetadas com o intuito de harmonizar com a arquitetura que é marca registrada do museu e com outros projetos existentes no local.

O MASP é, certamente, o espaço mais fácil de localizar e identificar na Avenida Paulista, mas caso tenha dúvidas, ele fica localizado no número 1578, pertinho do Parque Trianon e da Estação Consolação da Linha Verde do Metrô.

Ir de bike ao Museu do Futebol

Você já parou para refletir como o futebol (um esporte inglês, de elite e praticado por homens brancos) se tornou, aos poucos, tão popular na cultura brasileira? Se você gosta de esportes e ficou intrigado com essa questão, o Museu do Futebol não pode ficar de fora do seu roteiro turístico, pois é justamente isso que ele busca explicar.

O Museu do Futebol se baseia em três eixos principais (emoção, história e diversão) para resgatar a história por trás do esporte. Seguindo essa linha, busca mostrar o que futebol tem a ver com arte e qual o impacto desse esporte na vida das pessoas. Além disso, também conta a história das Copas do Mundo – tudo isso de modo interativo com o público. 

Os visitantes deste Museu têm acesso a uma sequência de experiências visuais e sonoras que relacionam o esporte e a vida do brasileiro no século XX, totalizando 6 horas de imagens exibidas em vídeos.

Localizado no Estádio do Pacaembu (Praça Charles Miller, s/n), o museu oferece um bicicletário gratuito para até 12 bikes que fica do lado direito da bilheteria. O local funciona de terça a domingo, das 9h às 17h. Às terças-feiras, a entrada é gratuita.

Museu da Imigração

Outro lugar rico em história para você ir de bike é o Museu da Imigração. Sediado no edifício da antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás, esse museu se baseia na história das mais de 2 milhões de pessoas que passaram pelo prédio entre os anos de 1887 e 1978 para compreender e refletir sobre o processo migratório no Brasil.

Nesse período, o local abrigou pessoas de mais de 70 nacionalidades diferentes. Localizado entre os bairros da Mooca e do Brás, o Museu da Imigração busca fomentar o debate acerca das questões relativas à memória da cidade de São Paulo.

Assim, se propõe a ser um espaço de articulação, promovendo reflexões sobre a experiência do deslocamento e a construção da identidade paulista a partir de múltiplas origens.

Os visitantes do museu podem ter contato com diversas atividades, oficinas e uma exposição de longa duração chamada “Migrar: experiências, memórias e identidades”. O local conta com bicicletário gratuito com 8 vagas. Leve cadeado e corrente para guardar sua bike. 

Planeje-se para realizar sua visita de terça a sábado, das 9h às 18h, ou no domingo, das 10h às 18h. O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1316. Para mais informações, acesse o site oficial da instituição.

Museu de Arte Sacra 

A história do Museu de Arte Sacra começa em 1907, quando Dom Duarte Leopoldo e Silva, primeiro arcebispo de São Paulo, começou a recolher imagens sacras de igrejas e capelas de fazendas que foram demolidas após a Proclamação da República, em 1889.

Assim, teve início a coleção que até hoje faz parte do acervo do museu. Posteriormente, esse acervo foi ampliado, quando, em 1970, o Museu de Arte Sacra passou a ocupar a ala esquerda térrea do Mosteiro de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Luz. 

Além das obras de seu acervo, o próprio edifício do museu é uma obra de arte repleta de história, já que se trata de um monumento arquitetônico da época colonial do estado.

O Museu de Arte Sacra fica localizado na Avenida Tiradentes, número 676, no bairro da Luz. Ele conta com um bicicletário para três vagas que fica dentro do estacionamento, com acesso pela Rua Jorge Miranda, 43. 

Ap ir de bike ao museu, aproveite para conhecer o jardim interno que conta com bancos para descanso, um delicado gramado e plantas baixas. O museu funciona de terça a domingo, das 9h às 17h. No sábado, a entrada é gratuita; nos outros dias, o ingresso custa R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia).

Ir de bike a Pinacoteca do Estado

Também no bairro da Luz fica a Pinacoteca, destino indispensável para quem está em São Paulo e gosta de arte. Com cerca de 4 mil peças, o acervo da instituição reúne trabalhos de artistas como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Cândido Portinari e Victor Brecheret. 

O prédio ocupado pela Pinacoteca foi projetado por Ramos de Azevedo em 1897, e hoje abriga importantes exposições em seus salões restaurados. O local conta com um bicicletário com 6 vagas gratuitas, exclusivas para visitantes. Para ter acesso, é só levar cadeado e corrente. 

No sábado, a entrada é gratuita; nos outros dias, o ingresso custa R$ 30,00, sendo R$ 15 a meia-entrada para estudantes com carteirinha. O museu funciona de quarta a segunda, das 10h com permanência até 18h. 

Ir de bike a Biblioteca de São Paulo

Agora, vamos falar sobre as bibliotecas da capital paulista que você pode ir de bike!

A primeira é a Biblioteca de São Paulo (BSP), que oferece diversos conteúdos em formatos variados, como jogos, DVDs, CDs, audiolivros, livros em braile, entre outros. Ela foi concebida para ser um espaço multimídia, de acessibilidade total, com projeto inovador de inclusão social por meio da leitura.

Inaugurada em 2010, a Biblioteca de São Paulo está localizada no Parque da Juventude, no terreno onde antes funcionava a casa de detenção conhecida por Carandiru. Lá, os visitantes podem guardar suas bicicletas nas quatro vagas que o espaço oferece. 

O endereço é Avenida Cruzeiro do Sul, 2630, no bairro Santana, com funcionamento de terça a domingo, das 9h30 às 18h30. A entrada é gratuita.

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Outra opção interessante para quem gosta de combinar cultura e natureza é a Biblioteca do Parque Villa-Lobos (BVL), que foi inaugurada em 2015 dentro do próprio parque. Ela segue a mesma proposta de biblioteca viva da BSP.

Além do seu grande acervo de livros, essa biblioteca também é conhecida por ser um ambiente de lazer entre famílias. O espaço descontraído e convidativo oferece diversas atividades gratuitas, como contação de histórias, saraus, oficinas, apresentações musicais e encontros com escritores, entre outros eventos que contemplam diferentes públicos.

Ao ir de bike, você pode guarda-la no bicicletário disponibilizado pela instituição, basta levar corrente e cadeado. A biblioteca e o parque ficam na Avenida Queiroz Filho, 1205, no Alto de Pinheiros. Ela funciona de terça a domingo, das 9h30 às 18h30.

Biblioteca Alceu Amoroso Lima para ir de bike

Nossa próxima sugestão de biblioteca é temática, e agrada principalmente os amantes de poesia. Estamos falando da Biblioteca Alceu Amoroso Lima, que carrega em suas paredes versos de Olavo Bilac, Gregório de Matos e Castro Alves, entre outros importantes expoentes da poesia brasileira.

Visite o local para ler obras selecionadas do acervo poético da biblioteca enquanto relaxa em um dos pufes coloridos espalhados pelo ambiente e aprecia a vista urbana. A instituição também é um prato cheio para quem gosta de mangás e gibis, localizados no pavimento superior do edifício. Se quiser emprestar algum livro, é preciso levar RG e comprovante de endereço. 

No térreo, há um espaço reservado para bicicletas. A biblioteca fica na movimentada esquina das ruas Henrique Schaumann e Cardeal Arcoverde, em Pinheiros, e funciona de segunda a sexta-feira das 10h às 19h, e aos sábados das 10h às 14h.

Bibliotecas do Centro Cultural de São Paulo

O Centro Cultural de São Paulo (CCSP) possui não uma, nem duas, mas três bibliotecas ao todo! Seus vários ambientes reúnem coleções especiais que, juntas, reúnem um acervo de cerca de 120 mil livros e documentos. Assim, abrigam um dos mais significativos patrimônios bibliográficos do país. 

Um dos grandes destaques fica para a Biblioteca Pública Municipal Louis Braille, planejada e equipada para atender pessoas com deficiência visual.

Ela reúne em seu acervo livros didáticos, técnicos, literários, infanto-juvenis e periódicos em braile e áudio, além de contar também com computadores adaptados para que as pessoas com deficiência visual tenham acesso à internet. A Biblioteca também atua como editora, produzindo livros em braille e livros falados. 

Estando por lá, você também precisa conhecer a Biblioteca Sérgio Milliet, a segunda maior biblioteca pública da cidade de São Paulo. Ela possui obras nas áreas de literatura latino-americana, filosofia, religião, ciências sociais e história, com seções especializadas em artes, hemeroteca, recursos audiovisuais e banco de peças teatrais.

Se você gosta de quadrinhos, aproveite para dar uma passada na Gibiteca Henfil. Ela tem uma coleção com mais de 10 mil títulos entre álbuns de quadrinhos, gibis, periódicos e livros sobre HQ.

O CCSP fica na Rua Vergueiro, 1000, no bairro Paraíso. Nos pisos expositivos, salas de espetáculos e bibliotecas não é permitida a entrada com bicicletas, mas o centro cultural disponibiliza bicicletário para seus frequentadores, todos os dias, das 10h às 22h. Acesse a página da prefeitura destinada às bibliotecas do CCSP para saber mais detalhes sobre os horários específicos de funcionamento de cada unidade. 

Explore São Paulo com a Tembici!

Além de acrescentar uma dose extra de exercício físico na sua jornada, explorar a capital paulista e ir de bike, também oferece a oportunidade de absorver a rica cultura da cidade de uma maneira única. 

Em busca dos espaços culturais espalhados pela cidade, você também tem a chance de descobrir pequenos tesouros, como galerias de arte locais, grafites urbanos e feiras de rua – enriquecendo ainda mais sua experiência. Enquanto pedala, você pode ter inúmeras oportunidades de se conectar com a arte, a história e a literatura que permeiam as ruas de São Paulo.

Para ampliar sua experiência sobre duas rodas, uma opção conveniente e sustentável é considerar o serviço de aluguel de bicicletas, como o que é oferecido em São Paulo e outras cidades do Brasil pela Tembici.

Nossos planos proporcionam ainda mais liberdade e flexibilidade, eliminando preocupações com o armazenamento da bicicleta ao entrar nos espaços culturais. Assim, você pode desfrutar dos seus passeios sem se preocupar com questões logísticas.

Com bicicletas disponíveis em estações estratégicas em toda a cidade, nosso serviço proporciona uma maneira eficiente e acessível de explorar o rico patrimônio cultural da metrópole paulista. Acesse o nosso mapa e veja onde estão nossas estações em São Paulo.

Comece a pedalar em São Paulo!

Em São Paulo, a Tembici oferece uma solução eficaz para driblar o trânsito caótico e os longos trajetos nos horários de pico: o aluguel de bike Itaú. Com cerca de 330 estações espalhadas pela metrópole, encontrar uma bicicleta próxima ao seu destino nunca foi tão fácil. Essa alternativa não apenas otimiza seu tempo de deslocamento, mas também contribui para um estilo de vida mais saudável e sustentável, alinhado com as necessidades da vida urbana agitada.

Utilizando o aplicativo, os usuários têm à disposição um mapa detalhado para localizar as estações de bicicletas, facilitando o planejamento de rotas e a retirada das bikes. A experiência de alugar uma bicicleta em São Paulo pelo sistema Itaú se torna prática e interativa, permitindo aos paulistanos e visitantes uma nova forma de explorar a cidade, evitando congestionamentos e contribuindo para a redução da poluição. Essa iniciativa reflete o compromisso da Tembici com a mobilidade urbana inteligente e o bem-estar dos cidadãos.

De bike, São Paulo fica mais perto de você. Experimente uma nova forma de ir e vir com o Bike Itaú.


Posts Similares